Prevention and Care of Common Kidney Diseases at Single ClickA incidência de doenças renais tem aumentado rapidamente. Venha fazer parte dos que assumiram a missão de prevenir e cuidar dos problemas renais.

« Table of Contents

Capítulo 23: Infecção do Trato Urinário em Crianças

Topics
  • Infecção do Trato Urinário em Crianças
  • Sintomas
  • Diagnóstico
  • Prevenção
  • Tratamento
  • Vãluvla de Uretra Posterior (VUP)
  • Refluxo Vesicoureteral (RVU)

Capítulo 23

Infecção do Trato Urinário em Crianças

A Infecção do trato urinário é comum em crianças com problemas de saúde de prazo longo ou curto.

Por que as infecções do trato urinário em crianças requerem atenção urgente e tratamento imediato em comparação com adultos?

A infecção do trato urinário requer atenção imediata e urgente em crianças porque:

  • A infecção do trato urinário é causa comum de febre nas crianças. Trata-se da terceira infecção mais comum em crianças depois de infecções respiratórias e diarreia.
  • O tratamento demorado e inadequado pode ser perigoso porque pode causar dano permanente ao rim.A repetição de infecção do trato urinário pode causar cicatrizes que, a longo prazo, podem causar pressão arterial alta, crescimento lento dos rins e até mesmo doença renal crônica.
  • Pela apresentação variável, o diagnóstico de infecção do trato urinário é muitas vezes falho. Portanto é necessário grande ndice de vigilância e suspeita no diagnóstico.
  • Há grandes riscos de repetição

Quais são os fatores que predispõem à infecção do trato urinário nas crianças?

São fatores de risco comuns na infecção do trato urinário nas crianças:
  • A infecção do trato urinário é mais comum em meninas, cuja uretra é mais curta
A infecção do trato urinário é
causa comum de febre em crianças.
Cap. 23 Infecção do Trato Urinário em Crianças 185.
  • As meninas se limpam de trás para frente (em vez de frente para trás) depois de usar a privada.
  • Crianças que têm anomalias congênitas do trato urinário, tais como refluxo vesicoureteral (condição anormal de refluxo inverso de urina a bexiga até o ureter prolongando até os rins) e válvula de uretra posterior.
  • Meninos não circuncisados têm a possibilidade de desenvolver infecção do trato urinário mais do que os que o são.
  • Estrutura anormal do trato urinário (ex. válvula de uretra posterior).
  • Cálculo no sistema urinário.
  • Outras causas: prisão do ventre, pouca higiene perineal, caterização prolongada ou historia de infecção do trato urinário na familia.

Sintomas de infecção do trato urinário

Crianças crescidas podem reclamar de seus problemas. Sintomas comuns de infecção do trato urinário são os mesmos que em adultos e são mencionados no Capítulo 18.

Crianças pequenas podem não reclamar não podem reclamar. Choram ao urinar, dificuldade ao urinar, urina cheirando mal e febres frequentes sem motivos são queixas comuns de casos de infecção do trato urinário.

Crianças menores com infecção do trato urinário têm falta de apetite, vômitos ou diarreia, pouco aumento de peso ou perda de peso, irritabilidade ou total falta de sintomas.

Diagnóstico da infecção do trato urinário

Investigacões feitas em crianças com infecção do trato urinário são:

Sintomas comuns de ITU em crianças: febre recorrente,
pouco aumento de peso, problemas urinários.
186. Previna-se Salve Seus Rins
1. Investigacões básicas de infecção do trato urinário
  • Exames para verificar infecção do trato urinário Microscopia da urina ou teste teste da fita Maiores detalhes são discutidos no Capítulo 18
  • Diagnóstico decisivo para ITU: Teste de cultura de urina para confirmar o diagnóstico Indentificação de bactéria específica causando infecção e escolha de antibióticos apropriados para o tratamento
  • Exames de sangue: Hemoglobina, contagem de célula total e diferencial, ureia no sangue, creatinina, açúcar no sangue e proteina C reativa
2. Investigações para diagnosticar os fatores de risco na infecção do trato urinário
  • Testes radiológicos para detectar anormalidades fundamentais: ultrassom de rins e bexiga, Raios X do abdômen, uretrocostografia miccional, CT Scan ou MRI do abdômen e urografia excretora
  • Testes para detectar cicatrizes dos rins Cintigrafia renal renal é o melhor método para detectar cicatrizes nos rins Deve ser feito preferivelmente de 3 a 6 meses depois do começo da infecção do trato urinário
  • Estudos urodinâmicos para avaliar as funções da bexiga
O que é uretrocistografia miccional? Quando e como é feito?
  • A uretrocistografia miccional (UCG) é um exame importante para o diagnóstico feito por meio de Raio-X nas crianças com infecção do trato urinário e refluxo vesicoureteral
Os principais exames para a diagnosticar fatores de predisposição
para ITU são ultrassom, UCG é urografia intravenesa
Cap. 23 Infecção do Trato Urinário em Crianças 187.
  • É o teste padrão para diagnosticar refluxo vesicoureteral e sua gravidade (nivelamento); e detecção de anormalidades de bexiga e uretra
  • Deve ser feito - a critério médico em todas as crianças abaixo de 2 anos após a primeira ocorrência de infecção do trato urinário
  • A uretrocistografia miccional deve ser feita depois de tratar a infecção do trato urinário, geralmente uma semana após o diagnóstico
  • Neste teste a bexiga é preenchida até a sua capacidade com contraste iodado opaco contendo fluido que pode ser visto no RaioX, através de um cateter em condições de extrema assepsia, geralmente com tratamento de antibióticos
  • Varias imagems de Raio X são tiradas antes e durante a micção Este fornece uma informação abrangente da anatomia e do funcionamento da bexiga e da uretra
  • A uretrocistografia miccional pode detectar a passagem da urina da bexiga em inverso dentro do ureter ou dos rins; conhecido como refluxo vesicourereral É um exame essencial para detectar a válvula posterior uretral em meninos

Prevenção da infecção do trato urinário

  1. Aumentar consumo de líquidos, que diluem a urina e ajudam em eliminar a bactéria da bexiga e do trato urinário
  2. A criança deve urinar cada duas ou três horas Reter urina na bexiga por longo período propicia o crescimento da bactéria
  3. Manter a área genital limpa Limpar a criança de frente para trás (não de trás para frente) depois de usar a privada Este hábito impede a bactéria da região anal se espalhar na uretra
  4. UCG é o teste de Raio X mais confiável feito em crianças com
    refluxo vesicoureteral e válvula de uretra posterior
188. Previna-se Salve Seus Rins
  1. Devem- se trocar as fraldas frequentemente para prevenir contacto longo com fezes e a área genital.
  2. A criança deve habituar-se a usar roupa interna somente de algodao, a fim de permitir circulação de ar. Evitar calças apertadas e roupas íntimas de nylon.
  3. Evitar dar banhos de espuma nas crianças.
  4. Em meninos não circuncisados o prepúcio deve ser limpo regularmente.
  5. Em crianças com RVU, dobrar ou triplicar a micção (passagem de urina) para evitar urina residual.
  6. Recomenda-se uma pequena dose diária de antibiótico por longo período como medida profilática para algumas crianças susceptíveis à infecção crônica do trato urinário.
  7. Tratamento da infecção do trato urinário
    Medidas em geral
    • A criança deve seguir as medidas preventivas contra infecção uninária.
    • Aconselha-se que a criança com infecção do trato urinário beba mais água. Crianças hospitalizadas necessitam de terapia intravenosa de líquidos.
    • Remédios apropriados são administrados contra febre.
    • O exame de urina é necessário após completar tratamento para assegurar que a infecção está devidamente controlada. Exames regulares posteiores são necessários em crianças pequenas para confirmar que a infecção foi eliminada.
    • Ultrassom e outras investigações apropriadas devem ser feitas em todas as crianças com i nfecção do trato urinário.
    O tratamento tardio ou inadequado da ITU em crianças
    pode ser perigoso e causar dano irreversível ao rim.
Cap. 23 Infecção do Trato Urinário em Crianças 189.

Tratamento especial

  • Em crianças, infecção do trato urinário deve ser tratada rapidamente com antibióticos para proteger os rins em crescimento.
  • Cultura da urina é feita antes de iniciar o tratamento a fim de identificar a bactéria causadora para efeito de seleção correta de antibióticos.
  • A criança necessita ser hospitalizada e receber maior dose de antibióticos no caso de febre alta, vômitos, grave dor lateral e não conseguir ingerir remédios pela boca . Recém-nascidos e crianças pequenas com infecção do trato urinário necessitam de remédios e tratamento.
  • Antibióticos são administrados por via oral em crianças de 3 a 6 meses de idade que não estão doentes e podem consumir remédios pela boca.
  • Antibióticos sao geralmente prescritos para um periodo total de 7 a 14 dias. E importante que todas as crianças recebam as doses de antibióticos na hora marcada e a quantidade total de acordo com a prescrição. Nao se deve parar a medicação porque os sintomas desapareceram após o iício do tratamento.

Infecção recorrente do trato urinário.

Crianças com recorrência de sintomas de infecção do trato urinário necessitam de ultrassom, UCG e às vezes cintilografia renal para indentifcar causas fundamentais. Três importantes problemas (tratáveis) da recorrência são vur, válvula de uretra posterior e cálculos renais. O tratamento será conforme a causa, seguido de medidas preventivas e terapia de antibióticos de longo prazo e

Faça cultura de urina antes de iniciar a terrapia para descobrir a bactéria
causadora do problema e para selecionar o antibiótico adequado.
190. Previna-se Salve Seus Rins

planejada. Em certas crianças o tratamento cirúrgico é planejado conjuntamente pelo nefrologista e o urologista.

Vãluvla de Uretra Posterior (VUP)

Essa anormalidade congênita da uretra que ocorre em meninos. É a causa mais comum de obstrução no trato urinário inferior em meninos.

Problema básico e sua importância

Pregas do tecido dentro da uretra levam ao bloqueio incompleto ou intermitente da passagem normal de urina em casos de válvula posterior de uretra. O bloqueio da passagem normal de urina pela uretra causa pressão em inverso sobre a bexiga. O tamanho da bexiga aumenta consideravelmente e os músculos da parede emgrossam.

A bexiga totalmente aumentada com pressão elevada da bexiga conduz à pressão inversa do ureter e dos rins. Isto resulta na dilatação do ureter e do rim. Esta dilatação, se não tratada a tempo, a longo prazo pode levar à doença renal crônica. Dee 25% a 30% das crianças nascidas com válvula de uretra posterior podem sofrer da doença doença renal crônica ds rins. a válvula de uretra posterior é causa significativa de morbidade e mortalidade em crianças.

Sintomas:Os sintomas mais comuns da válvula de uretra posterior são micção fraca, pingos ao urinar, dificuldade ou esforço para urinar, incontinência uninária, inchaço da região suprapélvica devido à bexiga palpavel e infecção do trato urinário.

Diagnóstico: Ultrassom antes ou depois do nascimento de meninos pode indicar os primeiros sintomas para diagnóstico de válvula de uretra posterior. Mas para a confirmação é necessário o teste UCG

VUP causa obstrução do trato urinário inferior em meninos,
levando à doença renal crônica, se não tratada a tempo.
Cap. 23 Infecção do Trato Urinário em Crianças 191.

feito logo após o nascimento.

Tratamento: Cirurgiões (urologistas) e especialistas dos rins (nefrologistas) em conjunto tratam a válvula de uretra posterior. O primeiro tratamento para melhoramento imediato é inserir uma sonda na bexiga (geralmente através da uretra, ocasionalmente através da parede abdominal -cateter suprapúbico para drenar a urina constantemente. Simultaneamente medidas de apoio tais como tratamento contra infecção, anemia e insuficiência renal, correção de má nutrição, anormalidades de fluidos e eletrólitos ajudam a melhorar a condição em geral.

O tratamento definitivo é cirúrgico, após as medidas de apoio. A válvula da uretra é removida por urologista com apoio de endoscópio. Todas as crianças necessitam ser acompanhadas por toda a vida por nefrologista, devido ao risco de infecção do trato urinário, problemas de crescimento, anomalias de eletrolitos, anemia, pressão arterial alta e doença renal crônica.

Refluxo Vesicoureteral (RVU)

Refluxo vesicoureteral e "passagem de urina ao inverso da bexiga ao ureter".

Por que é importante conhecer a respeito de refluxo vesicoureteral?

Refluxo vesicoureteral só se manifesta em cerca de 30 a 40% em crianças com infecção do trato urinário acompanhado de febre. Em muitas crianças pode causar cicatrizes e danos aos rins. Cicatrizes dos rins durante longo período podem causar arterial alta, toxemia de gravidez em muLHeres jovens, insuficiência renal crônica e, em alguns doentes, insuficiência renal. O refluxo

RVU é muito comum em crianças com ITU
e leva ao risco de hipertensão e DRC.
192. Previna-se Salve Seus Rins

vesicoureteral é mais comum em famíalias em que alguém já apresente a doença e afeta mais as mulheres.

O que é refluxo vesicoureteral e como ocorre?

Refluxo vesicoureteral é um Fluxo anormal de urina, com refluxo da bexiga para o ureter, possivelmente até os rins. Isto pode ocorre em um lado ou em ambos.

A urina formada nos rins vai em direcção da bexiga pelo ureter. O normal seria o contrário.

Durante a micção, quando a bexiga esta cheia de urina, a válvula entre a bexiga e o ureter e résponsavel para parar a passagem ao inverso da urina. No refluxo vesicoureteral há um defeito no mecanismo da válvula.

Conforme o Refluxo, a severidade é classificada de moderada grave (grau I a grau V).

Cap. 23 Infecção do Trato Urinário em Crianças 193.

O que causa o refluxo vesicoureteral?

Existem dois tipos de refluxo vesicoureteral: primário e secundário. O primário é o tipo mais comum e está presente desde o nascimento. O secundário pode ocorrer em qualquer idade e geralmente ocorre devido a obstrução ou defeito do funcionamento da bexiga ou uretra com infecção.

Quais são os sintomas do refluxo vesicoureteral?

Não existem indicações específicas ou sintomas do refluxo vesicoureteral. Porém a recorrência da ITU é a indicação mais comum do refluxo vesicoureteral. Em crianças maiores com grave refluxo vesicoureteral não tratado, sinais e sintomas são evidentes, devido a complicacões como pressão arterial sangue alta, proteina na urina ou insuficiência renal.

Como é diagnosticado o refluxo vesicoureteral?

As investigacões feitas em crianças com suspeita do refluxo vesicoureteral são:

1. Teste básico para refluxo vesicoureteral

  • A uretrocistografia miccional é o teste padrão para diagnosticar o refluxo vesicoureteral e o grau de gravidade.
  • Refluxo vesicoureteral é avaliado de acordo ao grau do refluxo. O grau do refluxo vesicoureteral indica a quantidade de urina que está passando ao inverso dentro da ureter e dos rins. A avaliação é importante para determinar o prognóstico e determinar a terapia apropriada ao doente.
  • Em sintomas moderados de refluxo vesicoureteral, o refluxo vai somente em d ireção ao ureter (grau I e II). Em condições
Com antibióticos ministrados regularmente por longo prazo
(anos), o refluxo de baixo grau se resolve sem cirurgia.
194. Previna-se Salve Seus Rins

de maior gravidade existe refluxo maciço de urina, com marcada tortuosidade e dilatação de ureter e inchaço do rim com gravidade (grau V).

2. Investigacoes adicionais do refluxo vesicoureteral

  • Exame de urina e cultura de urina - para detectar infecção do trato urinário.
  • Exames de sangue: Hemoglobina, células brancas no sangue e creatinina.
  • Ultrassom de bexiga e rins. Para verificar o tamanho e formato dos rins e verificar cicatrizes, pedras nos rins, obstruções e outras anormalidades. Ultrassom não pode detectar refluxo.
  • A cintiliografia renal: E o melhor método para detectar cicatrizes

Como é tratado o refluxo vesicoureteral?

É importante tratar o refluxo vesicoureteral para evitar possíveis infecções e danos aos rins. O tratamento depende do grau do refluxo, idade da criança e sintomas. Existem três sintomas para o tratamento do refluxo vesicoureteral, que são antibióticos, cirurgia e tratamento endoscópico.

O tratamento comum de início do refluxo vesicoureteral é administração de antibióticos para evitar infecção do trato urinário.

Cirurgia e tratamento endoscópico são reservados para refluxo vesicoureteral grave ou quando os antibióticos não deram resultado.

Refluxo Vesicoureteral Moderado: Desaparece espontânea e completamente, quando a criança antingir 5 a 6 anos de idade. Portanto crianças com refluxo vesicoureteral moderado possívelmente não necessitarão de cirurgia. Nestes doentes umam

Cirurgia e tratamento endoscópico são indicados em
casos graves ou quando os antibióticos não resolvem.
Cap. 23 Infecção do Trato Urinário em Crianças 195.

pequena dose de antibióticos é administrada uma vez ou duas vezes ao dia por longo período para evitar infecção do trato urinário. Este tratamento é conhecido por profilaxia antibiótica, feita em geral até os 5 anos.

Deve-se lembrar que antibióticos per se não corrigem o refluxo vesicoureteral. NitrofuratoinA e cotrimoxazol são as drogas. Todas as crianças com refluxo vesicoureteral devem seguir medidas gerais para evitar infecção do trato urinário e evitar frequente e regular vazio duplo. Exames de urina periódicos são feitos para verificar infecção do trato urinário. UCG e ultrassom são repetidos anualmente para verificar se o refluxo tem diminuido.a verificar se o refluxo tem diminuido.

Grave refluxo vesicouretral: A forma grave do refluxo vesicoureteral tem poucas possibilidades de curar espontaneamente. Assim, nesse caso, faz-se cirurgia ou tratamento endoscópico. Correção do refluxo através de cirurgia aberta (reimplante ou uretero neocistotomia) evita a passagem de urina ao inverso. A maior vantagem de cirurgia é o grande sucesso (88-99%).

O tratamento endoscópico é o segundo tratamento mais efetivo para grave condição de refluxo vesicoureteral. Os beneficios da técnica endoscópica são de que pode ser feita em condições de doente externo e dura somente 15 minutos, acarreta menos riscos e não necessita de incisão. Tratamento endoscópico é feito sob anestesia geral. Com a ajuda de um endoscópio, um tubo iluminado com material de adentramento especial e injetado dentro da região onde a ureter entra na bexiga. A injeção do material aumenta a resistência na entrada do ureter e evita que a urina de passe ao

Aconselha-se acompanhamento regular para avaliar pressão
arterial, crescimento, recorrência de ITU e dano ao rim.
196. Previna-se Salve Seus Rins

inverso dentro do ureter. O índice de sucesso deste refluxo de resolução com este método e cerca de 85 a 90%. Tratamento endoscópico é uma opção conveniente em estágio inicialo refluxo vesicouretral porque o mesmo evita administração de antibióticos por longo tempo e tensão de viver com refluxo vesicoureteral durante anos.

Acompanhamento: Todas as crianças com VUR devem ser monitoradas para toda a vida, com verificação de altura, peso, pressão arterial, exames de urina e outros, conforme recomendados.

Quando deve a criança com infecção do trato urinário consultar o médico?

Crianças com infecção do trato urinário devem imediatamente consultar o médico nos casos de:

  • Febre persistente, calafrios, dor ou ardência durante micção, urina com mau cheiro e sangue na urina.
  • Náusea ou vómitos que impedem consumir líquidos e medicações.
  • Desidratação devido ao pouco consumo de líquidos, ou vômitos.
  • Dôres na parte inferior das costas ou abdômen.
  • Irritação, falta de apetite, problema de crescimento, mal-estar
  • .
wikipedia
Indian Society of Nephrology
nkf
kidneyindia
magyar nephrological tarsasag